domingo, 14 de dezembro de 2008

Casa Memória Lopes-Graça

Este mês de Dezembro ficará marcado pela inauguração (13 de Dezembro) da Casa Memória Lopes-Graça em Tomar. Neste âmbito estão a realizar-se vários eventos de comemoração deste museu que dignifica a cidade e o compositor. Hoje escrevo sobre o concerto de guitarra e flauta transversal da passada sexta-feira (12 Dezembro) dos colegas Ana Carina e Duarte Lamas, realizado no Cine-Teatro Paraíso.

A 1ª parte do concerto foi dedicada a obras a solo de compositores que, por variadas razões, estiveram relacionados com a composição de Lopes-Graça: Vila-Lobos, J. S. Bach e Eurico Carrapatoso. As interpretações foram muito boas; o Duarte, mais uma vez, realizou uma grande interpretação da homenagem a Jimmy Hendrix de Carrapatoso e a Carina abrilhantou o concerto com a Allemande da Partita para Flauta BWV 1013. De Lopes-Graça foram interpretadas as obras a solo Sonatina para guitarra e Sonatina para flauta transversal. A primeira, infelizmente, não me pareceu uma composição ao nível habitual do autor; baseada em apenas três ou quatro motivos, os três andamentos da Sonatina são, na minha humilde opinião, algo pobres no desenvolvimento. Após olhar para a partitura percebi que Lopes-Graça não conseguiu tirar partido do potencial do instrumento e, em alguns momentos, a escrita parece estar mais adequada ao piano que à guitarra. No entanto, devido à forte criatividade do Duarte, a peça até acabou por ter algum interesse. Já a Sonatina para flauta é uma composição de maior qualidade e que permite ao intérprete mostrar alguns virtuosismos como o flatterzung; a Carina correspondeu com uma óptima interpretação.

A 2ª parte do concerto foi dedicada a obras de Lopes-Graça para duo de guitarra e flauta transversal. As duas obras interpretadas – das quais não me lembro do nome – são, a meu ver, menos interessantes que as obras, em geral, do compositor natural de Tomar. A primeira, composta em estilo livre e de linguagem atonal volta a ser, tal como a Sonatina para guitarra, algo pobre nos desenvolvimentos; há mesmo momentos em que apetece ouvir mais um pouco e o andamento simplesmente termina… Já a segunda obra, um conjunto de nove canções tradicionais “transformadas” por Lopes-Graça, denota um maior esforço do compositor em colocar efeitos nos dois instrumentos em comunhão com uma línguagem atonal. A junção das linguagens tradicional e atonal dão uma cor extraordinária e diferente às canções, embora estejam ainda longe das enormes capacidades de Lopes-Graça. A última obra do concerto foi o Café de Piazzolla, um dos andamentos da Histoire du Tango.

Gostaria de dar os parabéns aos colegas pelas prestações em palco. Já agora aviso que poderemos em breve ouvir este concerto na Antena 2 (vejam a programação).

Um beijinho muito especial para a Carina que se viu obrigada a fazer um esforço suplementar devido à um horrível ataque de sinusite.

ps: só duas notas muito negativas que não dizem respeito aos músicos. Em primeiro lugar considero inadmissível que um concerto pago não seja devidamente anunciado; todos os que se deslocaram ao nosso querido Cine-Teatro esperavam uma entrada gratuita pois nada em contrário havia sido referido, o que levou alguns a abandonarem as instalações depois de contestarem a situação. Dou a responsabilidade deste erro inadmissível à organização conjunta Canto Firme/C. M. Tomar. A segunda nota negativa, e completamente deplorável, deve-se à enorme falta de respeito da gestão do bar Jazzinside – localiza-se nos corredores do Cine-Teatro – que incomodou a plateia com a sua música ambiente. A situação manteve-se mesmo após os técnicos do teatro terem pedido encarecidamente para baixarem o volume. Meus amigos! Isto não só é falta de respeito como é também muito estúpido…

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

80º Aniversário do Quarteto "La Garde"

Caros amigos do Canto do Saxofone,

Hoje dia 2 de Dezembro de 2008 celebra-se o 80º aniversário do primeiro grande quarteto de saxofones: "La Garde".

Sob liderança do grande e histórico saxofonista Marcel Mule, o quarteto "La Garde" estreou-se em 1928 na cidade de La Rochelle. O nome deve-se à principal profissão dos seus elementos: eram todos músicos na banda sinfónica da Guarde Republicaine de Paris. Alguns anos mais tarde o nome da formação foi alterado para Le quatour de saxophones de Paris. Foi a primeira formação composta por saxofones a figurar nas listas dos melhores grupos de música de câmara.

Fica assim assinalada a data....

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Resposta a comentário

Olá caros amigos do Canto do Sax!



Quando criei este nosso blogue decidi que não responderia a nenhum comentário, qualquer que fosse a sua origem e tema. Mas hoje, ao remodelar algumas coisas aqui no blogue (Etiquetas, publicidade e motor de busca), tive uma extrema vontade de responder a Sr. Anónimo no post Tomar tem Pavimento de Ouro! Podem visualizar a minha resposta no seguinte link: http://ocantodosax.blogspot.com/2007/11/tomar-tem-pavimento-de-ouro.html
Eu sei que já passou quase um ano desde a publicação do comentário, mas... simplesmente merecia resposta!



Até já!

Projecto Mimarte



O Projecto Mimarte vai mudar de sala já em Janeiro.
Desde Agosto que Cem soldos tem recebido muito bem as sessões Koalas e Esquilos no seu acolhedor auditório; aqui deixo, mais uma vez, o agradecimento à SCOCS por nos ter aberto as portas e em especial ao Luis pelo apoio incondicional.
Agora os Koalas e os Esquilos vão passar a viver música no auditório Lagares d'El Rei com o apoio da divisão cultural da CMT, bem no centro da nossa cidade de Tomar! As sessões iram decorrer sempre ao primeiro domingo de cada mês, sem excepção! Podem ver o horário na programação cultural da CMT e mais informação em http://www.myspace.com/mimartevivenciasmusicais.

As primeiras sessões são no dia 4 de Janeiro 2009. Até lá o Mimarte ainda vai passar mais uma vez pelo auditório de Cem Soldos no próximo dia 5 de Dezembro (Koalas às 10h00 e Esquilos às 11h30).

Ficamos à vossa espera.... até já!

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

José Menezes + Carlos Barreto + José Salgueiro



O José Menezes veio visitar a minha querida cidade e eu, como é óbvio, fui ouvir o que ele tinha para nos dar. O concerto teve lugar no Jazzinside Quarteto Bar, em Tomar (Rua do Teatro), no passado dia 10 de Setembro (2008). Foi excepcional! São de facto três dos melhores músicos nacionais. Apresentaram uma miscelânea de temas; alguns clássicos mas essencialmente composições do Carlos e do Menezes, abordando as várias actuais linguagens do Jazz moderno. Um concerto de muito boa qualidade

Já o espaço não lhes fica atrás. É pequenino mas grande em estilo, ambiente e cultura. Obviamente é um espaço dedicado ao Jazz, contudo é possível sentir a presença de “outras músicas”, não só pelas revistas e jornais que se encontram no hall mas também pela programação. Parabéns por esta iniciativa que está a ter (e continuará a ter) muito sucesso. Para quem ainda não sabe, os concertos são de entrada gratuita; as bebidas são as mais caras da cidade mas a qualidade cultural compensa e bem! Podem aceder a http://www.jazzinside.net/ para mais info.

Sinto que o primeiro Club de Jazz tomarense está a ganhar forma. Só espero que não comece a ser frequentado por aquele público que só vai “ver” música para ser visto...

ps: gostaria de dizer àquele grupito de meninas que quando alguém está em palco, mesmo num bar, é suposto nós conseguirmos ouvir o que fazem e não unicamente as vossas irritantes conversas acerca de namorados ainda mais irritantes. Obrigado!

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

15º Estágio da ONST

Decorreu nos dias 18 a 30 de Agosto mais um estágio da Orquestra Nacional de Sopros dos Templários, projecto da S. F. Gualdim Pais de Tomar. Realizaram-se quatro concertos – Mação, Sardoal, Sertã e Tomar – e a direcção ficou a cargo do maestro Otavio Mas Arocas.

Tive o prazer voltar a colaborar com a ONST e desta vez realizei um dos meus objectivos enquanto estudante de música. A orquestra é uma iniciativa que pretende ser um espaço de aperfeiçoamento para jovens músicos por isso vi neste projecto a oportunidade de complementar a minha formação. É certo que já não sou tão jovem quanto os meus colegas de orquestra, o que se deve ao meu tardio despertar para a música, mas a verdade é que nunca tive a oportunidade de ser solista numa orquestra de escola. Como considero esta experiência fundamental para a formação de um músico decidi propor-me como solista á direcção do 15º Estágio da ONST. E assim foi! A obra interpretada foi Deux Movements de André Waignein, um clássico do reportório para saxofone solo e orquestra aqui num arranjo para orquestra de sopros. Aprendi muito com esta situação, o que será muito importante para a minha carreira que agora se inicia, por isso aconselho todos os jovens músicos a fazerem o mesmo. Agradeço o apoio dos colegas e amigos da orquestra, o excelente trabalho do maestro Otavio e a disponibilidade do Prof. Jaime Antunes que tem tido uma importância especial nos últimos estágios.

Acima da importância pessoal que este estágio teve para mim, há que realçar o extraordinário desafio que o maestro Octavio nos trouxe: duas obras contemporâneas, uma em estreia mundial, outra em estreia europeia. Tal como muitos outros músicos e professores, eu considero que as linguagens contemporâneas são “mal” aplicadas nos programas dos nossos conservatórios. Eu sei que as coisas têm mudado, especialmente com as mais recentes gerações de músicos/professores, mas o ensino vocacional da música em Portugal tem deixado estas linguagens para o fim da formação do músico. A meu ver isso gera alguns preconceitos nos alunos pelo que deve estar presente na aprendizagem o mais cedo possível. Por estas razões, vi no desafio do maestro uma oportunidade única e muito importante para os jovens músicos da orquestra, muitos dos quais nunca tinham contactado com tal realidade. Também os públicos dos quatro concertos aprenderam algo de muito novo. Contudo, as obras interpretadas não são nenhuma novidade no panorama musical mundial; são os públicos e os alunos portugueses que não estão familiarizados com tais sons!

Em traços gerais, o estágio foi muito bom e os concertos foram de boa qualidade. Deixo-vos algumas fotos do concerto em Tomar (30 de Agosto, 2008) e peço a quem assistiu aos concertos que deixem aqui os seus comentários.

Parabéns a todos os envolvidos no 15º Estágio da ONST.




domingo, 7 de setembro de 2008

Mimarte

Quero deixar-vos algumas imagens da estreia do projecto Mimarte (ver link no separador "Projectos") no passado dia 24 de Agosto, em Cem Soldos - Tomar - e inserido na programação do Festilval Bons Sons 2008.






Festival Bons Sons 2008

Caros amigos,

À uns dias atrás – 22, 23 e 24 de Agosto – decorreu em Cem Soldos, aquela bela localidade, o Festival Bons Sons 2008. Foram três dias fantásticos que alteraram o modo de vida daquela aldeia! Queria deixar aqui os meus Parabéns a toda a equipa da organização do Festival e às gentes de Cem Soldos por todo o trabalho. É claro que a criação deste Festival é resultado da criatividade da associação SCOCS, por isso grande parte da organização é fruto da entrega, força e criatividade de muitos voluntários; para eles fica um agradecimento especial!
Os três dias de festa levaram muitos visitantes à aldeia de Cem Soldos e com eles vieram diferentes culturas, diferentes sons, diferentes artes, aumentando a beleza natural do lugar. Não sou muito assíduo nos festivais de Verão, mas penso que serão poucos aqueles que conseguem o dinamismo e mistura cultural dos Bons Sons, e tudo com entradas gratuitas.
Para quem não esteve no Festival sugiro a visita ao site http://www.bonssons.com/ para verem um pouco do que perderam. Daqui a dois anos há mais e serão muitos os que vão esperar ansiosamente.

Tive o prazer de participar nesta grande festa das culturas com dois projectos: Duo Sellium e Mimarte. Podem ver mais informações sobre estes através dos links no separador “Projectos” deste blogue.


quarta-feira, 9 de abril de 2008

Métodos de Iniciação

Caros colegas,

Dirijo-me a todos os saxofonistas que dão aulas de iniciação (preparatório e 1º Grau) de saxofone.

Como já foi publicado neste nosso blog, encontro-me a realizar a Tese em Licenciatura em Música, no ISEIT de Almada (I. Piaget) na qual o tema é "Os Métodos de Iniciação". Em primeiro lugar quero esclarecer que estou a investigar os livros em uso e não as metodologias de trabalho de cada Professor. Em segundo lugar, gostaria de perceber nesta fase do meu estudo quais os métodos mais aplicados no ensino em Portugal. Assim, gostaria de pedir a contribuição de todos aqueles que a quiserem dar, o favor de deixarem nos comentários desta mensagem a seguinte informação de cada um de vós:

Nome do Docente:
Método(s) usado(s):
Escola Superior em que o Docente se formou:
Professor(es) de instrumento na formação do Docente:
Escola(s) em que o Docente lecciona iniciação:

Espero que possam contribuir para esta importante investigação que será útil para todos nós Professores de Saxofone. Futuramente irei partilhar algumas conclusões e informações neste blog, assim como também vos irei pedir mais algum tipo de contribuição.

Obrigado e até já!

domingo, 30 de março de 2008

Uma pérola histórica para o saxofone... no YouTube!!!

Vale a pena ver este video até ao fim! Admirem não só a musicalidade, mas também a técnica de Charlie Parker; parece que os dedos não se mexem... Tudo o resto é igualmente bom!

Quem se lembra dos Weak-End?

Só por nostalgia.....

Videoclip de After Bath, dos Weak-End

domingo, 3 de fevereiro de 2008

Concerto Duo Sellium

Olá a todos!

Finalmente já tenho o meu acesso pessoal de internet. Acabaram-se as idas e vindas à procura de vaga nas bibliotecas municipais e cafés para poder navegar na web. Agora poderei intervir mais neste espaço que, lembro, também é vosso.

Aproveito para, finalmente, vos contar os resultados da experiência que foi estrear o Duo Sellium. Como sabem, o concerto estreia foi no passado dia 11 de Janeiro, na Fábrica de Braço de Prata em Lisboa, espaço que vos aconselho a visitar caso ainda não conheçam. Após algumas peripécias quanto à sala do concerto e ao preço do bilhete - ambos sofreram alterações de última hora - demos o que consideramos um bom arranque ao projecto. Foi extremamente gratificante tocar obras contemporâneas num bar repleto de gente a tomar bebidas e a descontrair. Não é, certamente, o local ideal para se ouvir o tipo de reportório interpretado - Uirapùru de Tom Eastwood, Autobankrieg de Meijring, História do Tango de Piazzolla, estre outros. Contudo, penso que conseguimos captar a atenção de quem estava ali só para beber uma cerveja. Não é que houvesse poucos ouvintes que estivessem ali de propósito para nos ouvir. Foram até bastantes e aqui deixo o nosso muito obrigado por participarem nesta aventura. Pensávamos que aqueles que já se encontravam no bar antes do concerto, saíssem logo após um primeiro andamento da Sonata BWV 1021 de Bach alegando-se incomodados. Mas não! Ficaram, gostaram e pediram mais uma...

Tratando-se de um bar, foi-nos possível ouvir aqueles que assistiram ao concerto, mesmo entre copos de vinho, tecerem importantes e gostosas opiniões sobre a actuação. Não só no sentido do elogio fácil, mas também na critica construtiva, o que certamente nos ajudará no futuro.

Pelo meio ainda tivemos a sorte de sermos captados por uma das câmaras de reportagem da SIC. Dizem que ficamos muito bem na imagem, mas como ainda não as vimos.... De resto, sentimos que, apesar do nervoso habitual de uma estreia, estivemos à altura do desafio.

Enquanto, digamos, porta-voz do duo, quero ainda deixar aqui o nosso profundo agradecimento a quem nos apoiou na preparação para o concerto, nomeadamente o prof. Dejan Ivanovich, ao Diogo, gerente do bar Repúblika (Tomar) onde fizemos o nosso ensaio geral e a quem assistiu, e a Joana. Não posso terminar sem também agradecer, obviamente, ao Nuno Nabais e a toda a equipa da Fábrica de Braço de Prata por nos abrirem as portas da sua casa.

Deixo-vos com um dos retratos tirados e cedidos por Fabrice Ziegler nesse mesmo dia. Já agora visitem o blog do seu projecto: http://www.retratosasexta.blogspot.com/