sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Caros Saxofonistas

Olá a todos!

Espero que me estejam a visitar na sequência de algum email que receberam, o qual foi reencaminhado por um outro qualquer colega, e no qual seguia o meu pedido de ajuda: obter dados para a minha tese.

Ora, para que não sabe, encontro-me a acabar a Lic. em Música no I. Piaget. Como objecto da minha tese irei investigar os métodos de iniciação (preparatório e 1º Grau) que são mais usados no ensino do saxofone em Portugal.
Por isso peço-vos a todos vocês, professores de saxofone, que me ajudem a reunir alguns dados. Para já gostaria que me indicassem quais os métodos que cada um de vocês usa. Podem usar o link para os comentários a este texto ou para o email bruno_homem_sax@portugalmail.pt.

É também minha intenção iniciar algum tipo de discussão acerca deste tema, usando para isso este blog. Irei expor aqui algumas questões importantes que o ensino nos coloca, linhas pedagógicas entre outros assuntos relacionados e espero que todos queiram participar na discussão.

Quanto á tese, no trabalho escrito, não farei uso de qualquer nome , nem inclusive citações dos comentários colocados por vocês, sem autorização prévia dos devidos.

Obrigado pela vossa ajuda e apareçam mais vezes!

Uma banda á maneira!



Andava no google e encontrei isto. Há coisas fantásticas, não há!?

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Tomar tem pavimento de OURO!!!!

Caros amigos tomarenses.

Queria vos contar o orgulho que tenho em ser tomarense, e que está mesmo quase a ultrapassar o nível de orgulho que tenho do Benfica e do Mantorras. Sim! Acho que qualquer benfiquista, e qualquer outra pessoa, deve ter um carinho muito especial pelo Mantorras depois de ele salvo a vida daquele taxista. Se ele já tinha provado ser muito humilde, além de trapalhão, agora provou ser um homem dos meus - com H grande!!!
Mas conversa à parte, tenho cada vez mais orgulho em ser tomarense porque, dentro de em breve, vamos poder atravessar as nossas ruas em passadeiras de Ouro! Isso mesmo! Como sabem, a CM de Tomar decidiu que as novas passadeiras deveriam ter um declive menos acentuado, construídas com rampas mais longas, de forma a não penalizar tanto as suspensões dos automóveis. Ora, se as anteriores já custavam 5.000€, estas vão custar 10.000€.
Como é que chegamos ao Ouro. Ora, como o executivo passou (talvez sem querer) uma proposta dos independentes, aquela que obriga a CMT a limpar o terreno das ruinas romanas junto aos Bombeiros, penso que a proposta das passadeiras também foi, digamos, votada "sem querer" com a maioria! Assim, e a este andamento, acredito que brevemente possamos atravessar as nossas lindas ruas em passadeiras de Ouro no valor de 1.000.000€. Acho mesmo muito boa ideia. Poderemos então dizer aos nossos turistas que temos, não só mais cara rotunda da Europa, mas também o pavimento mais caro do Mundo!
E se os gajos do Governo vierem dizer que andamos a passar do limite orçamental dizemos que eles andam é a perseguir laranjinhas!!!

Parabéns Paiva!

terça-feira, 13 de novembro de 2007

Ainda sem nada de jeito pra dizer...

Como é óbvio, continuo sem acesso á internet pessoal. É que, infelizmente, a minha geração não teve a oportunidade de comprar PC's e internet a preços reduzidos. E como não tenho niguém que me "desvie" um....
Pois é, são muitos os que andam por aí a oferecer PC aos netos e sobrinhos e tal... Só porque são professores que estão quase na reforma, e como têm tempo de serviço suficiente para trabalhar apenas algumas horas por dia, têm direito a comprar esses tais PC's e internet a baixo custo.
Enfim... Tenho pena de não pertencer a uma familia com tradição profissional no ensino!

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

O Nascimento

Lembrei-me de criar um blog....

O Problema é que estou num PC da Biblioteca Munipal de Tomar, na minha especial terra!
Espero ver este meu canto (s.m., lugar afastado) crescer nos próximos meses, embora com muita dificuldade, pois não tenho internet pessoal.

Vamos lá a ver como isto corre....

Bem, fica aqui apenas o registo deste magnifico nascimento, embora sem muita ponderação, que certamente não me levará a pensar: «É pá! Se calhar devia ter abortado!»

Até já...